A PROVIDÊNCIA DIVINA

A doutrina da Providência divina está intimamente ligada a da Criação. Ela procura enfatizar a questão da sustentabilidade de tudo o que foi criado por Deus. Por outras palavras, a doutrina da providência ensina que o Universo não só teve a sua origem em Deus, mas também depende dele para a continuação da sua existência.
A providência significa que Deus governa a Sua criação “com absoluta soberania e autoridade”.
Segundo o ensino das Escrituras, os conceitos de fortuna, destino ou sorte não são sustentáveis, visto que a fortuna é cega, o destino é impessoal e a sorte é muda. Não existem forças cegas e impessoais a operar na história humana. Tudo funciona por meio da mão invisível da providência de Deus. Isso significa que num mundo governado por Deus não existem eventos casuais. O acaso não existe.
Esta doutrina da Providência divina é das mais relevantes numa sociedade como a nossa, dominada por uma filosofia marcadamente naturalista. Ela tem sido a pedra de tropeço para muitas pessoas que não possuem a fé cristã. Duvidam da existência de um Deus de amor e Todo-poderoso, num mundo confuso, cheio de maldade e de desequilíbrios profundos.
O panteísmo (a crença de tudo o que existe é parte de Deus) e o deísmo negam a doutrina da providência divina, visto que para o primeiro, Deus não está fora do que existe e para o segundo, Deus não intervém, actualmente, na Sua própria criação. Permanece inactivo perante o desenrolar dos acontecimentos, ao longo dos séculos.
Contudo, a Bíblia afirma e assevera que Deus está no controle de todas as coisas (Salmo 104; Salmo 103:19). Tal como o piloto de um navio (e não como um relojoeiro), Deus sustenta e coordena o funcionamento de tudo o que acontece no Universo.
A Bíblia apresenta evidências inegáveis da providência divina:
- As profecias que predizem o que vai acontecer, o modo como será feito e a garantia da sua concretização, são provas da actividade e da intervenção divinas;
- As Orações feitas, na esperança de que serão atendidas pelo Criador, não fariam qualquer sentido se a doutrina da providência divina não fosse verdadeira;
- Os milagres são, de certa forma, alguns dos aspectos da evidência da intervenção de Deus na Sua própria criação;
A Providência pode ser definida como “o exercício contínuo da energia divina, por meio da qual o Criador sustente todas as Suas criaturas, é operante em tudo o que ocorre no mundo, e dirige todas as coisas ao seu destinado fim”. (Martin Lloyd-Jones). Ou, como a Confissão de Fé de Westminster (séc. XVII), diz: “Pela mui sábia providência, segundo a sua infalível presciência e o livre e imutável conselho da sua própria vontade, Deus, o grande Criador de todas as coisas, para o louvor da glória da sua sabedoria, poder, justiça, bondade e misericórdia, sustenta, dirige, dispõe e governa todas as criaturas, todas as acções delas e todas as coisas, desde a maior até ao menor” (Cap. VI, cit. de R.C. Sproul).

A Providência divina envolve três aspectos importantes:
1º - Preservação – a continuidade da “obra de Deus por meio da qual sustenta as coisas que criou, em conjunto com as propriedades e energias com que Ele as dotou”; significa que Ele conserva tudo na sua existência (Salmo 104: 28-30; Actos 17:28; Colossenses 1:17; Hebreus 1:3).

2º - Governo – a “actividade contínua de Deus por meio da qual Ele conduz todas as coisas para um fim e um objectivo definidos,...a fim de assegurar a consumação do Seu próprio propósito divino” (Salmo 97:1; 103:19; Isaías 40:15; Daniel 4: 34,35).

3º - Concorrência - quer dizer “a cooperação de Deus e Seu divino poder com todos os poderes subordinados segundo as leis preestabelecidas da sua operação, levando-as a agir precisamente como fazem”. Aqui encontra-se a totalidade da ideia da relação das causas secundárias com a suprema ordenança de Deus. Ele opera nas e através das causas secundárias, usando-as, ordenando-as e manipulando-as como quer (Jó 12:24; Salmo 104:20, 21 e 30; Amós 3: 6; Mateus 5:45; 6:26; 10:29; Gálatas 1:15,16).

Textos de apoio: Jó 38: 1-41:34; Daniel 4: 34,35; Actos 2: 22-24; Romanos 11: 33-36

(bases: Verdades Essenciais da Fé Cristã de R.C.Sproul, Grandes Doutrinas Bíblicas de Dr. Martyn Lloyd-Jones, Teologia Sistemática de George Eldon Ladd, Teologia Sistemática de Wayne Gruden, Comentário de Génesis de Derek Kidner e A Terra…De Onde Veio de John C. Whitcomb).
Pastor Samuel Quimputo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...