Cumprindo a missão de Deus


Quão formosos sobre os montes são os pés do que anuncia as boas-novas, que proclama a paz, que anuncia coisas boas, que proclama a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina”  
(Isaías 52:7) 

Os factos históricos relatados nas páginas das Sagradas Escrituras constituem aquilo que se denomina “História da Redenção”. Esta terminologia deve-se ao facto de que esta História Sagrada, procura destacar os momentos mais importantes da intervenção de Deus na criação, por meio de um processo gradual de auto-revelação divina.
Ao longo dos séculos Deus, na sua soberania, vem realizando o seu eficiente plano de salvação, chamando e usando homens e mulheres, na qualidade de agentes secundários, mas ativos, no cumprimento da sua soberana vontade, com o propósito último de levar a criação caída a uma experiência final de redenção e de restauração.
Este projeto de dimensão cósmica realiza-se através da manifestação do poder divino, ao chamar homens e mulheres, de todas as tribos e nações, a fim de formarem um reino sacerdotal, cuja natureza consiste na partilha do caráter e da identidade do próprio Deus, e cuja missão é a de anunciar as virtudes (beleza e excelência moral) daquele que liberta o homem e o cura da sua cegueira espiritual(1 Pedro 1:14-16; 1 Pedro 2: 5, 9).
Se a natureza desta nova comunidade de fé, formada por homens e mulheres regenerados pelo poder do Espírito Santo, se evidencia pela marca distintiva da santidade de vida e por uma constante atitude de devoção e de adoração  a Deus, a sua missão materializa-se e se cumpre por meio do anúncio das boas-novas a todos os que vivem alienados de Deus e escravizados pelo poder do maligno, a fim de que conheçam aquele que é a fonte da verdadeira vida e experimentem a multiforme graça do bom Pai.
Isaías afirmou que os pés daqueles que anunciam as boas-novas de salvação são “formosos”, “suaves”, “belos”, querendo com isto dizer que os portadores das boas-novas são bem-aventurados e abençoados por se envolverem   no maior e mais importante empreendimento humano, de escala mundial.
“Formosos”, “suaves” e “belos” são os pés de homens e mulheres que, tendo a consciência da urgência da missão, se apressam a anunciar a mais importante notícia alguma vez ouvida.
Ao tornarem conhecidas as boas-novas, os crentes, alcançados pela graça de Deus, anunciam a paz de Deus, proclamam a salvação que Ele oferece e afirmam a veracidade do seu Reino sobre o universo.
Com esta declaração de Isaías, que expressa de um modo singular a missão do povo de Deus, concluímos que fazer missões é, acima de tudo, o compromisso de proclamar as boas novas, as boas notícias de que há um Deus que, por meio da fé em Cristo, justifica o ser humano, concedendo-lhe a Sua paz, que há um Deus que salva e livra do pecado e do mal, e que há um Deus que reina, cujo governo é eterno e cuja vontade deve ser obedecida na terra como é no céu. É nisto que consiste o anúncio das virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9).
Que o Senhor da missão torne os nossos pés “belos”, “suaves”, “velozes” e preparados para anunciar a mensagem mais importante que os nossos concidadãos devem ouvir. Que ao celebrarmos o mês de missões mundiais, sintamos todos a responsabilidade e o privilégio indizível de participar o grande plano de Deus, que deseja salvar a todos os homens e mulheres (sem distinção) sejam salvos, pela pregação da mensagem da cruz. Soli Deo Gloria!                 
Pr. Samuel Quimputo
Boletim 137, 31 março de 2013

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...