ALIMENTANDO A ALMA COM A PALAVRA

“Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão o homem viverá, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”
(Mateus 4: 4)

A vida é uma das maravilhas da criação de Deus. É um dos mistérios mais profundos da sabedoria daquele que, pelo poder da sua palavra, trouxe à existência tudo o que compõe o Universo.
Reflectir sobre a essência da vida, com toda a sua complexidade, é penetrar um mundo fascinante e cheio de encantos.
Um dos aspectos mais empolgantes do fenómeno da vida é o facto de não ser uma realidade estática, mas sim dinâmica e que se traduz num contínuo processo de desenvolvimento. Aliás, o crescimento constitui uma das características distintivas dos seres vivos.
Visto que é, essencialmente, um processo em constante desenvolvimento, para continuar a sua existência, a vida necessita de ser nutrida.
De certa forma, uma vida equilibrada é aquela bem nutrida, cujos elementos bioquímicos, necessários para o seu desenvolvimento, são supridos.
Da mesma maneira, a vida do crente precisa ser alimentada com a Palavra de Deus, fonte de todo o suprimento espiritual, necessário para um crescimento saudável e equilibrado (1 Pedro 2:2). Este suprimento insubstituível, proporcionado pela Palavra, serve para capacitar o crente a exercitar, com discernimento, as suas faculdades morais (Hebreus 5: 14).
Depois de um longo período de jejum, o Senhor Jesus foi submetido a um impiedoso teste por parte de Satanás. “Se tu és Filho de Deus, ordena que estas pedras se transformem em pães”, disse o diabo ao esfomeado.
Pouco tempo antes, Deus, o Pai, tinha feito uma solene afirmação de que Jesus, recém baptizado, era o Seu Filho amado, em quem tinha prazer (Mateus 3: 17). Agora, cheio de fome e de sede, estava a ser pressionado a provar a sua filiação com Deus, transformando pedras em pães, a fim de suprir as suas necessidades físicas e psíquicas.
Foi diante desta sugestão tentadora que o Senhor Jesus respondeu, pronta e energicamente, citando o texto de Deuteronómio 8: 3, provando deste modo o facto de que as necessidades da vida humana não se limitam àquelas que podem ser supridas pelo pão.
O povo de Israel passou por muitas situações difíceis, durante a sua longa e desgastante jornada pelo deserto, e a razão que as Escrituras nos apresentam é que tudo aconteceu para que os corações desses peregrinos aprendessem a confiar na Palavra e nas promessas do seu Deus (Deuteronómio 8: 2, 3).
O Senhor Jesus cita o texto de Deuteronómio para provar a Satanás que a vida de um homem não pode ser plenamente satisfeita através de recursos materiais. O que preenche, de facto, as necessidades mais profundas do ser humano é a Palavra vivificante que sai da boca de Deus e que restaura a alma.
Aprendemos com esta abordagem do Senhor Jesus que, uma vida plena e equilibrada só encontrará a sua realização quando for dominada pela Palavra inspirada de Deus, visto ser o único alimento sólido, capaz de nutrir as dimensões mais profundas do ser humano, imagem de Deus, o Criador.
Que o Senhor nos dê a graça de, dia e noite, nos alimentarmos da Sua bendita Palavra, encontrando nela o suprimento necessário para as nossas almas. Que o Espírito Santo desperte em nós a consciência da nossa carência espiritual que só pode ser suprida pela Palavra viva do Senhor.
Soli Deo Gloria!
Pr. Samuel Quimputo
Boletim 112
27 Fev 2011

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...