UM LEGADO DE DISCIPULADO


A ordem dada pelo Senhor Jesus aos seus discípulos, antes de ascender  aos céus, incorpora uma verdade universal em que toda a visão missionária da igreja se deve focalizar na formação de discípulos (Mateus 28:19). Por outras palavras, todos os convertidos à fé cristã devem ser ensinados e preparados para, por sua vez, assumirem o seu  compromisso missionário no alcance de outros discípulos.

O princípio do discipulado cristão, portanto, é um legado a ser transmitido de pessoa para pessoa, até ao aparecimento do grande Mestre e Senhor da Igreja.

Paulo, o grande apóstolo aos gentios, foi um fiel seguidor dos princípios estabelecidos pelo Senhor Jesus. O ensino foi o seu principal instrumento no cumprimento da sua missão de apóstolo. Ele tinha a clara consciência de ter sido constituído pregador do evangelho, apóstolo e mestre dos gentios (1 Timóteo 1:11). 

No cumprimento do seu ministério apostólico, na qualidade de mestre (didaskalos, didáscalos, instrutor), Paulo equipou muitos dos seus filhos na fé, com o propósito de que estes se tornassem líderes e que, por sua vez, exercessem influência sobre os demais, transmitindo-lhes a mesma visão.
Timóteo foi um dos que de mais perto acompanhou o ministério de Paulo, sendo constantemente desafiado a não ter vergonha do evangelho, nem da sua vocação pastoral, nem da sua juventude, no exercício da sua função de pastor.

Ao escrever a sua segunda carta ao jovem pastor Timóteo, talvez a última das suas epístolas, Paulo estimulou-o a fortalecer-se na graça que encontra a sua fonte e o seu suporte em Cristo.
Tendo sido um discípulo dedicado e atento, durante todo o tempo em que esteve ao lado do seu amado instrutor, Timóteo testemunhou, bem de perto, o ministério de Paulo; o seu amor a Cristo, a sua resolução de levar o evangelho aos confins da terra, as suas profundas e comoventes exortações, enfim, a sua entrega abnegada pela causa de Cristo. Tudo foi testemunhado pelo discípulo amado e jovem pastor.

Agora, prestes a partir para o merecido descanso eterno, Paulo exorta Timóteo a passar o legado da boa milícia a homens (antrwpois, antrópois, homens ou pessoas) confiáveis, capacitados para, com dedicação, ensinar a outros as mesmas verdades apreendidas.

Esta recomendação representa o princípio de  “reprodução” ou “multiplicação” ensinado pelo Senhor Jesus, princípio esse que deve caraterizar toda a visão missionária da Igreja e, consequentemente, de toda a educação teológica.

Segundo o Senhor Jesus, os novos discípulos deviam ser ensinados “a guardar todas as coisas que vos tenho mandado” (Mateus 28:20).

Portanto, quando os discípulos cumprem o seu ministério de evangelização, fazendo mais discípulos, devem, também, dedicar-se à formação e à preparação destes novos alunos, não só  no cultivo de um profundo e crescente compromisso para com o seu Senhor e mestre, mas também no ministério de lhes incutir a determinação de formar outros.

Podemos, portanto, concluir que a nobreza do ministério cristão de fazer discípulos se encontra alicerçada no ensino e na consolidação da doutrina dos apóstolos, e na capacitação de outros, de modo a desempenharem a sua função (ou ministério) de formar.

Que o Senhor e bom Mestre nos dê a graça de agirmos como Ele nos ensinou.
Soli Deo Gloria! 
Pr. Samuel Quimputo
Boletim 158
1 fev 2015

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...