Vivendo na graça e na dependência do Senhor

Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer
(João 15: 5)


No século XIX, as descobertas do cientista francês Louis Pasteur contribuíram, de um modo decisivo, para a formulação da importante lei na área da Biologia, conhecida como a Lei da Biogénese, que afirma que a “vida gera vida” (do lat. Vita ex vita). Embora elementos não orgânicos componham células vivas, isto é, estruturas com princípios e actividades vitais, a vida, na sua dimensão mais profunda, continua a ser um mistério fascinante. É este fascínio que torna a pesquisa científica, na área da Biologia, um dos projectos mais ambiciosos da investigação científica.
Numa abordagem magistral, o Senhor Jesus explicou a realidade espiritual da vida, usando uma relevante analogia, na área da Botânica, demonstrando a relação vital existente entre o caule e os ramos de uma videira.
Segundo o Senhor Jesus, ninguém pode produzir frutos espirituais a não ser que, no seu interior, haja uma semente de carácter espiritual. Assim como os frutos revelam a natureza, a espécie e a qualidade da planta da qual se originam e recebem os nutrientes e toda a sua informação genética, assim também, ninguém pode produzir fruto espiritual se não estiver ligado à fonte, que é Jesus.
É uma tremenda ilusão pensar-se que é possível viver a vida cristã, sem que antes haja uma saudável relação com o Senhor da vida. Ele é a videira, o caule principal através do qual todos os nutrientes chegam às varas. É impossível que as extremidades sejam saudáveis e produzam fruto, se não forem alimentadas.
Na Bíblia, o fruto do Espírito é contrastado com as obras da carne (Gálatas 5:19-22); quer isto dizer que, enquanto as obras da carne resultam da inclinação natural do coração decaído, o fruto (cujo singular aponta para o conjunto das virtudes espirituais) tem a sua origem num coração regenerado, transformado e nutrido pelo poder do Espírito Santo, que nele habita. Por outras palavras, o fruto espiritual não é mero resultado do exercício ético e moral da “bondade”. É, antes, o produto final e visível de uma obra sobrenatural, que actua no novo espírito vivificado (Ezequiel 36: 26, 27).
A fim de confirmar a verdade da dependência vital entre Ele e todos os que desejam produzir o fruto espiritual, o Senhor Jesus disse: “porque sem mim nada podeis fazer”. Esta afirmação é categórica. Não diz que sem Ele podemos fazer algo, por mais pequeno que seja. Não! O que diz é que sem Ele “nada” podemos fazer; o que quer dizer que a permanência na videira, que é Ele, é vital e indispensável. E permanecer nele significa ouvir e obedecer à Sua Palavra (João 15:7). Significa também amá-Lo sobre tudo e amar os Seus amigos (os nossos irmãos) como Ele os amou e se entregou por eles (João 13:34-35; 15: 12).
Que cada um de nós reconheça a sua dependência do Senhor, confiando na plenitude da Sua graça que supre todas as nossas necessidades.
Permaneçamos na videira. Alimentemo-nos dos preciosos e indispensáveis nutrientes que dela nos vêm, por intermédio da Sua Santa e infalível Palavra.
Soli Deo gloria
Junho 2009

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...